Um Planeta - Múltiplos Desafios
Combustíveis Fósseis

A revolução industrial está claramente associada ao carvão. A sua utilização intensiva como matéria-prima na industria do aço e, principalmente, como combustível na indústria, nos transportes ferroviários e marítimos e, a partir de finais do séc. XIX, na produção de electricidade, são o detonador de um salto quantitativo e qualitativo na vida da Humanidade.
Este fóssil é o ex-líbris da actual situação de desenvolvimento económico, designadamente, na Europa: as duas Grandes Guerras tiveram, além de outras motivações, a disputa pela zona hulhífera do centro da Europa; a própria União Europeia é tributária da Comunidade do Carvão e do Aço que juntou um primeiro grupo de países com o objectivo de integração daquelas indústrias para se evitar novas Guerras no espaço Europeu.
http://www.worldcoal.org/

combustiveis_fosseis

 

Mas sabemos, sempre soubemos, que os combustíveis fósseis são muito poluentes, desde a mineração, até aos fumos resultantes da sua combustão. Os gases e partículas poluentes são causadores de muitos problemas de saúde, de deterioração de monumentos, de alteração da vida vegetal e, tal como sabemos hoje, estão incontornavelmente ligados ao problema das alterações climáticas.
A queima de carvão e de outros combustíveis fósseis é causadora do chamado “efeito de estufa”, que consiste no aumento de uma espécie de película de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera que filtra e retém o calor solar na superfície terrestre, modificando, assim, os padrões de evaporação e de circulação das correntes oceânicas, provocando oscilações extremas das temperaturas e, consequentemente, potenciando uma alteração da base dos ecossistemas, da biodiversidade e da nossa vida.
http://www.evalue.pt/